AVENTURA DE APRENDER

Site da Alefe

BLOG

A MENINA QUE NAO SABIA LER

Posted by aventuradeaprender on May 4, 2017 at 10:30 PM Comments comments (0)
RESENHA DE LIVRO



A menina que não sabia ler (lido em 2017)

Autor: John Harding



1891. Nova Inglaterra. Em uma distante e escura mansão, onde nada é o que parece, a pequena Florence é negligenciada pelo seu tutor e tio. Guardada como um brinquedo, a menina passa seus dias perambulando pelos corredores e inventando histórias que conta a si mesma, em uma rotina tediosa e desinteressante. Até que um dia Florence encontra a biblioteca proibida da mansão. E passa a devorar os livros em segredo. Mas existem mistérios naquela casa que jamais deveriam ser revelados. Quem eram seus pais? Por que Florence sonha sempre com uma misteriosa mulher ameaçando Giles, seu irmão caçula? O que esconde a Srta. Taylor? E por que o tio a proibiu de ler? Florence precisa reunir todas as pistas possíveis e encontrar respostas que ajudem a defender seu irmão e preservar sua paixão secreta pelos livros - únicos companheiros e confidentes - antes que alguém descubra quem ousou abrir as portas do mundo literário. Ou será que tudo isso não seria somente delírios de uma jovem com muita imaginação?



Quem narra a história é uma criança de 12 anos chamada Florence. Ela conta que a mãe morreu no parto, e o pai e a madrasta (mãe de seu irmão mais novo, Giles) desapareceram em um acidente. Desde então eles moram na casa do tio que nunca viram e são cuidados apenas pelos empregados. Ela é proibida de aprender a ler porque segundo conseguiu descobrir uma ex-mulher do tio o deixou quando se tornou instruída e ele ficou traumatizado passando a ser contra a educação de mulheres.



Só que quando Florence descobriu a biblioteca fechada da casa ficou fascinada e aprendeu a ler sozinha. Depois ela conta que achou um álbum de família com a mãe de Giles com o rosto recortado e com o pai deles que parece demais com o tio e entende que são gêmeos. Florence e Giles são inseparáveis até que o irmão caçula precisa ser mandado para a escola em regime interno e ela fica triste por estar sozinha e muito preocupada com ele. Então ela recebe a visita de Theo, seu vizinho que tem asma, e é apaixonado por ela. No começo ela não gosta porque muda sua rotina e diminuí bastante o seu tempo de leitura, mas ao longo do livro formam uma boa amizade.



Quando Giles é expulso da escola o tio decide que ele deverá ser educado em casa. Logo chega uma preceptora que morre em um passeio no lago, mas Florence não conta quase nada sobre isso. A partir daí a história começa a ficar estranha porque chega uma nova preceptora chamada senhorita Taylor e ela sente medo porque entende que a moça não é quem diz ser. Ao juntar evidências descobre que a mulher quer fazer mal ao irmão dela, mas não sabe o que. Ao mesmo tempo em que é seguida por ela pelos espelhos da casa e percebe que ela tem poderes especiais entende que é um fantasma que quer sequestrar o irmão e tudo piora ainda mais quando Florence acha duas passagens de trem pra Europa.



Então começa a formular um plano pra impedir isso. Chega a contatar até mesmo o policial responsável pelas investigações da morte da outra preceptora que ao investigar a tal Taylor descobre que ela realmente não tem referências e sempre procurou emprego naquela casa. Com a ajuda de Theo ela formula um plano que não sabemos qual é.



Pode até parecer que estou contando muito e dando spoilers, mas tudo isso acontece nos primeiros capítulos do livro. Agora vou fazer apenas mais alguns comentários. Aprendi com Agatha Christie que nunca devemos confiar em um narrador-personagem porque ele sempre conta a história do seu ponto de vista. No caso desse livro quem conta é Florence e ela conta do jeito dela que ao longo da história se mostra não ser confiável. Cuidado! Estou avisando...



Sempre quando leio ou vejo um filme gosto de pesquisar para confirmar minhas impressões ou entender algo que não entendi (acho que já falei isso aqui). No caso desse livro não foi diferente e minhas piores suspeitas foram totalmente confirmadas. Vi muitos comentando até mesmo que o nome do livro “A menina que não sabia ler” não faz sentido, mas faz. Significa que ninguém acreditaria no que ela é capaz já que pra todos é apenas uma menina que nem sabe ler.



Nas minhas pesquisas também descobri que esse livro é baseado em “A volta do parafuso” de Henry James do século XIX. Então esqueça uma literatura infanto-juvenil. Trata-se de uma história de terror no estilo Edgar Alan Poe, Stephen King e outros do gênero. Apesar de ler esperando um infanto-juvenil não posso dizer que não gostei porque gosto de ser surpreendida.



Spoiler:



Florence deixa Theo morrer, dopa Giles e ainda por cima joga a senhorita Taylor dentro do poço. Depois faz tudo pra encobrir o que fez. Já suspeitava, mas pesquisando comprovei de que Florence na verdade era totalmente psicopata, o tio era o pai deles e a senhorita Taylor a mãe do irmão caçula. Ela era obcecada pelo menino que queria só pra ela e por isso fantasiou todos os aspectos de perseguição sobrenatural. Fica claro também que ela matou a primeira preceptora e isso explica o porquê praticamente nada é narrado sobre ela. Realmente me enganou direitinho e o título do livro quer dizer que ninguém suspeitaria dela já que era apenas uma garotinha órfã e inocente que todos achavam que não sabia nem ler.

ZUMBI GOSPEL

Posted by aventuradeaprender on April 17, 2017 at 9:05 PM Comments comments (0)

RESENHA DE LIVRO



Zumbi gospel (lido em 2017)

Autor: Thiago Marques


O cristianismo brasileiro vive a "onda gospel". Fazemos de tudo desde que a palavra gospel esteja envolvida, então vieram: Música Gospel, Moda Gospel, Teatro Gospel, Cinema Gospel, Stand Up Gospel, Balada Gospel e por aí vai. Este livro irá mostrar mais uma das faces deste mundo gospel, o zumbi, que habita em nossas igrejas morto para as coisas de Deus e vivo para as coisas do Mundo!

Baseado na parábola do filho pródigo, o livro traz a história real de dois jovens que vagaram como zumbis dentro da nossa igreja, sem que ninguém descobrisse que por trás da cara de santidade havia um interior podre. Com absoluta certeza, essa história também pode estar acontecendo na sua igreja, com um amigo, com um filho ou com você! Os segredos aqui revelados irão ajudar adolescentes, jovens, pais e pastores a ressuscitar estes zumbis. Nós temos o antídoto e muito mais. Com certeza você irá se surpreender.



Eu ouvi falar desse livro através de uma irmã da igreja em uma lição da célula sobre o filho pródigo. Achei interessante e peguei emprestado para ler.



Pelo título pensei fazer referência à igreja de Sardes do Apocalipse (período chamado Renascimento ou reforma) porque lá a descrição feita por Cristo é literalmente de mortos-vivos (zumbis). Entretanto, essa passagem nem é citada porque é um livro bem adolescente mesmo.



“O zumbi gospel é aquele crente que se veste e fala como crente, conhece a Bíblia, vai à Igreja, mas está morto por dentro.”



O livro é curto, mas bem interessante. O autor (Thiago) faz uma pequena introdução sobre ele e um amigo (que ele chama de Fabinho). Ele nunca saiu da igreja, mas seu amigo se envolveu com um namoro virtual e abandonou a congregação.



Então explica que um zumbi gospel é a pessoa que está na igreja fingindo ser crente, mas vivendo como mundano e que muitas vezes são piores do que aqueles que realmente saem porque esses pelo menos todos sabem que estão desviados e o zumbi consegue enganar.



Depois dá o exemplo da parábola do filho pródigo e que ambos eram perdidos. O filho caçula saiu de casa porque queria ser mundano e o mais velho ficou. Entretanto, no fundo parecia invejar o irmão que teve coragem de sair porque também não tinha prazer na companhia do pai.



Há alguns capítulos com orientações para os pais vigiarem o que os filhos fazem às escondidas porque podem ser zumbis. Chega a dizer até que a maioria dos adolescentes e jovens que trabalham ajudando na igreja só fazem isso como desculpa pra matarem cultos e não ouvirem pregações. Espero que isso não seja verdade e sim apenas alguns casos isolados...



No meio do livro ele conta a própria história de forma completa. Diz que foi criado na igreja, mas nunca teve um compromisso com Deus. Apenas fingia que era cristão e desde a infância pecava escondido, mas fingia saber tudo da Bíblia e trabalhar na igreja só pra impressionar. Na adolescência e juventude ficou pior porque se envolveu até o pescoço com pornografia junto com os colegas e também virtualmente. Até que arrumou uma namorada que acabou se convertendo de verdade e por amor a ela decidiu mudar em um retiro da igreja. Eles se casaram e hoje ele trabalha com adolescentes na mesma situação.



Depois conta parte da história do Fabinho que realmente saiu da igreja, mas morreu com um câncer terminal dias depois de ter se reconciliado com Cristo através do autor do livro. Da história dele logicamente não são dados muitos detalhes...



No final há um capítulo com uma oração por aqueles que por traumas de família não reconhecem a Deus como Pai.


 

Não pude deixar de me identificar um pouco porque também fiquei meio assim. Mesmo não tendo caído em pecados desse tipo nem me fingido de cristã. Só que buscava aprender tudo de Bíblia apenas para impressionar os outros e, além disso, gostava apenas das pregações expositivas (corria de vigílias e pregações temáticas narrativas) para saber da Bíblia sem precisar ler nada. Triste época... Mas eu tenho consciência que era cristã de verdade e apenas tive uma recaída. Só que o autor do livro deixa claro que desde criança fingia.

SOFRIMENTO: SUAS SETE CAUSAS

Posted by aventuradeaprender on April 12, 2017 at 10:15 PM Comments comments (0)

RESENHA DE LIVRO


Sofrimento: suas sete causas (lido em 2017)

Autor: Delcio Meireles



Quantos de nós já não nos indagamos algum dia: "Por que sofremos? E Deus Quem envia o sofrimento? Ou será que o adversário é o autor de todo e qualquer sofrimento?" Entre os assuntos mais complexos que enfrentamos nesta vida, o sofrimento é um dos mais misteriosos e que menos entendemos. E, certamente, inúmeros problemas seriam evitados se conhecêssemos suas causas.



Eu comprei os livros do irmão Delcio Meireles através do perfil “Edições Ruiós” no facebook. Esse livro não fazia parte do catálogo da editora porque está esgotado. Entretanto, Deus me presenteou com ele em um saldão de uma loja aqui da minha cidade.


 

O autor explica que os descrentes e até mesmo alguns cristãos sem discernimento tentam explicar o sofrimento através do ateísmo (Deus não existe), fatalismo (acontece porque tem que acontecer/ Deus é a causa do problema) e dualismo (o bem e o mal brigam de forma igualitária sem possibilidade de saber quem vai vencer). Logicamente essas teorias falham porque são humanas e não tem nenhuma base bíblica.



Esse é o tipo de livro que de tão tremendo dá vontade de copiar tudo. O irmão Delcio faz uma análise do que considera as sete causas de sofrimento na vida de cristãos e não cristãos a partir dos exemplos bíblicos. São eles:



1 – O sofrimento orgânico e hereditário

2 – O sofrimento penal e judicial

3 – O sofrimento voluntário e vicário

4 – O sofrimento permissivo e justificativo

5 – O sofrimento corretivo e disciplinar

6 – O sofrimento educativo e preparatório

7 – O sofrimento demoníaco e opressivo


 

Algumas frases:



“A mesma lei que opera o bem quando obedecida, opera o mal quando invertida.”


“Aquele que pratica o mal sofre os danos da penalidade como forma de retribuição.”


“Os atos devem ser praticados primeiro para depois serem retribuídos, e os planos mais amplos de retribuição devem acontecer na vida além.”


“As penalidades eternas são abolidas, enquanto que as temporais permanecem.”

 

“Todos os que almejam maior comunhão com Deus e serviço mais amplo aos homens, devem passar por esse tipo de sofrimento.”

 

“Aceitar voluntariamente a cruz é o caminho para se obter a coroa”


“Madeira, fogo e palha não resistem ao fogo do julgamento divino.”


“Todo filho de Deus pode se esquivar do serviço e não perder a dádiva da salvação, mas o galardão pelo serviço será perdido.”


“Não somos movidos por nossa segurança, mas por nosso desejo de dar frutos. Isso envolve auto-negação.”


“Os filhos de Deus podem passar por provas cujas causas eles desconhecem totalmente. Esse tipo de sofrimento tem como alvo provar ao inimigo que o Senhor pode ser amado, adorado e servido por Seus filhos, ainda que Ele seja o único bem que possuam.”


“Jó não sofreu por seu pecado; ele pecou por ter sofrido.”


“Pensamos que somos ou possuímos algo, até que na Luz de Deus nós vemos que, na verdade, nada somos.”


“Nas trevas mais profundas da noite sem estrelas é que os homens aprendem como segurar na Mão oculta mais firmemente e como está mesma Mão os segura.”


“O Senhor vê o que não vemos e conhece a estrada que devemos seguir e que nos conduzirá ao centro da Sua Vontade que é boa, agradável e perfeita!”


“O Espírito Santo atua na consciência do desviado visando sua restauração. Caso ele não ouça Sua voz depois de algumas admoestações, o tratamento será mudado.”


“O coração do nosso Pai é grande demais e por isso, enquanto houver esperança para os perdidos, Sua misericórdia suspenderá o julgamento e o Senhor os castigará em Seu longo sofrimento (longanimidade), visando conduzi-lo ao verdadeiro arrependimento.”


“Só o fogo da disciplina pode remover a escória do ouro e da prata.”

 

“Não se esqueça que o diabo também é cirurgião, mas seus métodos são anormais e paliativos... ele nos ministra narcóticos, sedativos ou intoxicantes; nos coloca para dormir ou nos envolve numa vida de prazeres agradáveis e vertiginosos para que esqueçamos nossa doença. O diabo não pode curar nunca. Podemos passar toda a vida dependendo dele, mas vamos apenas piorar.”


O Senhor (Jesus), como habilidoso cirurgião que Ele é, às vezes precisa usar o método destrutivo.”


“Alguns tipos de desobediência podem ocasionar até a perda da própria vida física.”


“A Graça visa redimir e restaurar aqueles que são insubordinados e rebeldes, a fim de que possam se submeter ao método governamental de Deus.”


“O Espírito Santo começa então a mostrar-nos nosso erro, permitindo que venha sobre nós, primeiro a fraqueza, depois a doença, e finalmente a morte.”


“Confesse logo!”


“Se temos que experimentar altos níveis de calor em nossas provas, é porque o Senhor considera-nos como materiais preciosos.”


“O que o Senhor busca através do sofrimento educativo e preparatório é a própria imagem de Cristo em nós.”


“Não temos uma mente preparada para sofrer. O que realmente desejamos é gozar as coisas boas desse mundo.”

 

“Infelizmente, só aprendemos a humilharmo-nos depois de sermos humilhados.”


“O Senhor permite que nossos planos fracassem e que nossos esquemas falhem. Quando isso acontece, perdemos a confiança em nós mesmos.”


“Precisamos passar pelo sofrimento se queremos aprender a simpatizar com as aflições dos outros.”


“Muitas pessoas entram em contato com o mundo espiritual sem saber o que estão fazendo.”

 

“Satanás sabe como exagerar nossas fraquezas visando destruir nossa utilidade.”


“Muitos sofrem por não identificar a mão do inimigo”

A BENCAO DA TRAICAO

Posted by aventuradeaprender on April 11, 2017 at 10:45 AM Comments comments (0)

RESENHA DE LIVRO



A benção da traição (lido em 2017)

Autor: H. L. Roush



Nosso SENHOR foi traído. Muitos homens usados por Deus também experimentaram essa dor. O que o Senhor quis operar através disso? Uma grande bênção na vida de todos eles. E não será diferente conosco.


“A experiência debilitante de ser traído pelos próprios amigos e amados necessariamente virá à vida de cada crente. Abel foi traído pelo seu irmão único, Esaú pelo seu irmão gêmeo, Isaque pelo seu filho, Urias pelo rei em quem confiava e pela sua bela esposa, Jesus por Seu discípulo dedicado, Paulo por falsos irmãos. Creio que todo homem em quem Jesus habita terá nesses últimos e terríveis dias o seu próprio Judas particular (...). Além disso, traição é a experiência comum de todo homem que Deus já usou em qualquer época para a Sua glória.”



No livro o autor conta a experiência que passou ao ser traído por alguém que ele considerava o melhor amigo. Diz que ficou muito triste e questionou a Deus, mas Ele mostrou que isso seria benção no futuro assim como foi com Jesus que morreu na cruz para salvar a humanidade.



Então explicou que mesmo sabendo que Judas ia trair, Jesus o amou até ao fim. Ele fala também que Deus nos mostra quem está perto de nós e é falso, mas muitas vezes somos nós quem não queremos perceber. Realmente isso é verdade, mas o autor esqueceu-se de falar o caso da traição dos verdadeiros amigos como Pedro e os demais discípulos. Eu mesma já fui traída por irmãos verdadeiros.



Gostei quando ele explicou que a traição nos faz ser mais dependentes de Deus e olhar pra Ele ao invés de para as circunstâncias, que quando agimos assim Deus transforma o mal em bem. Outra parte excelente é quando o autor deixa claro que devemos amar aos nossos inimigos e que nossa experiência vai servir de testemunho para encorajar outros que passam pelas mesmas situações. Excelente! Só fiquei curiosa pra saber mais detalhes do testemunho dele.



É importante deixar claro que Deus não tenta ninguém e nem decreta o pecado das pessoas. O calvinismo rígido crê nisso, mas eu não sigo essa doutrina e até mesmo abomino tal tipo de pensamento. Só estou fazendo esse comentário por aqui porque essa resenha pode servir de base para inferir pensamentos desse tipo e isso não é verdade. Deus não provoca o mal, mas sabe como ninguém transformá-lo em bem para os Seus filhos.



Não apenas a Bíblia, mas a História da Igreja cristã como um todo está repleta de casos de traição. Irmãos que fundaram ordens religiosas e foram expulsos, padres desprezados pela própria comunidade, pastores e missionários que serviram há anos em alguma denominação e ficaram no fim da vida com dificuldades até para o sustento básico. O irmão Delcio Meireles, em suas pregações, conta uma parábola para ilustrar essa situação: é como um homem que ajudou com todos os recursos a fundar uma empresa e depois foi expulso não podendo ser tratado nem como serviçal.


Precisamos estar preparados para isso porque nosso reconhecimento muitas vezes não virá dos homens, mas de Deus e na grande maioria das vezes não será nem nessa terra e sim no Reino vindouro.



“As nossas experiências pessoais não são tão pessoais ou particulares quanto geralmente imaginamos. O que sucede nas nossas vidas como membros do Corpo de Cristo tem o propósito de trazer conforto e apoio a outros. Acontece a nós porque é a herança mútua dos membros do Corpo de Cristo compartilhar dos sofrimentos da Cabeça.”



“Creio que todo homem em que Jesus habita terá nesses últimos e terríveis dias o seu próprio Judas particular, pois no dia de engano e falsificação será proeminente o irmão falso.”



“Quantos santos têm sobrevivido aos ataques exteriores apenas pra caírem, feridos mortalmente por amargura, ressentimento, malícia e um coração que não perdoa.”



“Damos muitas vezes mais glória ao diabo, ao mundo e à carne nas circunstâncias das nossas vidas do que merecem. Culpamos os nossos inimigos quando somos esbofeteados, mas recebemos grande paz e quietude de coração quando nos recusamos a reconhecer causas secundárias nas nossas vidas.”



“Nem todos gozam o privilégio de conhecer a agonia da traição, cuja finalidade é levar-nos a participar, em alguma medida, da profundidade do Amor de Cristo.”

MINIATURISTA

Posted by aventuradeaprender on April 5, 2017 at 11:15 PM Comments comments (0)
RESENHA DE LIVRO


Miniaturista (lido em 2017)

Autora: Jessie Burton



No outono muito frio de 1686, Nella Oortman, de 18 anos, chega em Amsterdã para começar uma nova vida como esposa do ilustre comerciante Johannes Brandt. Mas sua nova casa, apesar de esplendorosa, não é acolhedora. Johannes é gentil, porém distante; sempre trancado em seu escritório ou no depósito onde guarda seus produtos, deixa Nella sozinha com a irmã dele, a maliciosa e ameaçadora Marin. A jovem não consegue se aproximar do marido e parece que o casamento nunca será consumado.


Mas o mundo de Nella muda quando Johannes lhe dá um extraordinário presente de casamento: uma réplica da casa deles em miniatura. A maquete é exatamente como a casa em que moram, com os mesmos quadros, tapeçarias e objetos de arte. Para mobiliar a casinha, Nella contrata os serviços de um miniaturista — um artista furtivo e enigmático, cujas criações são cópias perfeitas dos móveis e objetos da casa. O artesão envia a Nella ítens finamente talhados, alguns que nem sequer foram requisitados, e bonecos que repetem e algumas vezes predizem os acontecimentos da cada vez mais estranha vida de Nella na casa.

 

O presente de Johannes ajuda a esposa a compreender o mundo da família Brandt, mas, à medida que ela descobre seus segredos, começa a temer os perigos crescentes que os cercam. Nessa sociedade religiosa e repressiva, em que o ouro só é menos venerado que Deus, ser diferente é uma ameaça às morais e nem um homem como Johannes está livre. Apenas uma pessoa parece capaz de enxergar o futuro que os aguarda. Seria o miniaturista a senha para a salvação ou o arquiteto da destruição?



Esse livro aparentemente é um suspense de mistério, mas está mais para um romance histórico. Só que mesmo assim os elementos de suspense estão bem presentes e apesar das descrições super detalhadas e do começo ser um pouco lento a leitura é bem agradável. Outra coisa que me chamou bastante atenção é o forte conteúdo religioso no pior sentido da palavra. Seria eufemismo eu dizer que senti vontade de vomitar.



“Quando conhecemos realmente uma pessoa, Nella, quando enxergamos além dos gestos mais amáveis, dos sorrisos, quando vemos a raiva e o medo patético que cada um de nós esconde, então o perdão é tudo. Todos nós precisamos desesperadamente disso. E Marin… Marin não sabe perdoar.”



“— Vocês duas estão fazendo muito barulho — adverte Marin. — Por favor, lembrem que as pessoas estão sempre olhando.”



Petronella (Nella) morava em um vilarejo chamado Assendelft com sua família em boa situação financeira, mas o pai se envolve com jogos e morre deixando a família endividada. Pensando em garantir o futuro da filha, a mãe arranja seu casamento com um comerciante rico chamado Johannes. Eles se casam às pressas e a mudança é marcada para meses depois. Só que, como diz na sinopse, o casamento não se concretiza porque ele nem a toca. Na primeira parte do livro vemos sua frustração que só aumenta quando recebe a tal casa de bonecas pra ter com o que se ocupar.



Entretanto, depois dessa parte um a um os segredos começam a ser desvendados. Não posso falar muito aqui para não dar spoiler, mas tanto Nella quanto nós veremos que nada é o que parece. No meu caso não causou tanto espanto porque como conheço o purtitanismo calvinista já esperava por aquele tipo de coisa. Quanto ao segredo do miniaturista vi muitas críticas de que não ficou bem explicado, mas pelo menos pra mim a explicação foi clara e brilhante.



"Ao me mostrar minha própria história, reflete Nella, a miniaturista se tornou autora dela. Gostaria muito de poder recuperá-la."



Como eu já disse, o que me deixou mais chocada foi o comportamento protestante puritano antigo. Conhecemos isso atualmente com o nome de legalismo. Da mesma forma que os fariseus, as pessoas buscam aprovação de Deus e da sociedade através da obediência às leis, muitas vezes extra-bíblicas e pouco (ou nenhum) espaço há para o Amor a Deus e ao próximo. O resultado disso é: todos aparentando bondade e santidade, mas com as vidas podres e caindo por dentro. Pessoas que dizem amar a Deus, mas no fundo apenas têm medo e raiva d’Ele. Até mesmo o pastor demonstra satisfação ao ver os pecados das pessoas sendo revelados. Vizinhos que espionam uns aos outros pra enxergarem nos outros os pecados que tentam esconder em si mesmos. Realmente muito triste...



"Acaso pode sair água doce e água amarga da mesma fonte?"



“— Você coloca essa fantasia de manhã, Pieter Slabbaert — diz Johannes. — E você também, Frans Meermans. E ambos escondem seus pecados e suas

fraquezas em uma caixa sob a cama, e esperam que, deslumbrados com suas vestes, nos esqueçamos deles.”



Outro ponto interessante é o desprezo pelo catolicismo que eles chamam pejorativamente de “papistas” e o quanto a religião juntamente com o Estado queriam controlar até mesmo o que as pessoas comiam! Parece que Nella era católica em sua cidade natal porque teve uma hora que ela diz que o sacerdote da infância dela e os pastores de onde estava concordavam em que homossexualismo é uma abominação. E como eu, também ficou muito triste com a falsa religião calvinista que eles seguiam e teve muita piedade deles entendendo que só teriam a oportunidade de redenção através do sofrimento porque é através dele que poderiam conhecer a si mesmos por trás da aparência de falsa santidade e piedade. Jesus poderia libertar, mas jamais toda aquela opressão religiosa que mais fazia piorar tudo!



“— Quando conheci você — começa ela, desesperada para se livrar daquela tristeza —, não se importava com a Bíblia, com Deus, com culpa, pecado nem vergonha.

— Como sabe que eu não me importava?

— Você não ia à igreja, se irritava com as orações de Marin, e comprava muitas coisas. Comia bem, desfrutava os prazeres que podia ter. Era seu próprio deus, arquiteto do seu destino.

Ele sorri, gesticulando para as paredes ao redor.

— E veja só o que construí.”


 

Vejam o trecho de um culto:



“O pastor Pellicorne se posiciona diante do púlpito. É alto, tem mais de cinquenta anos, barba bem feita, o cabelo grisalho, curto e elegante, o colarinho largo e de um branco brilhante. Sua aparência sugere que ele tem um grupo de criados atentos. Pellicorne não perde tempo com introduções: — Hábitos abomináveis! — brada ele, se dirigindo aos cães e às crianças, aos pés que se arrastavam e ao monte de gaivotas do lado de fora. O silêncio cai sobre o recinto, todos os olhos voltados para o pastor, menos os de Otto, que baixa a cabeça, concentrado em seus dedos entrelaçados. Nella olha para Agnes, cujos olhos estão erguidos na direção de Pellicorne, como uma criança fascinada. “Ela é tão estranha”, pensa. Em um minuto tão loquaz e arrogante, no outro tão infantil e empenhada em impressionar. — Em nossa cidade há muitas portas fechadas, e não podemos ver o que há atrás delas — continua Pellicorne, duro e impiedoso. — Mas não pensem que podem esconder seus pecados de Deus. — Os dedos finos apertam a beirada do púlpito. — Ele os descobrirá — sentencia, acima das pessoas. — Não há nada escondido que não vá ser revelado. Os anjos do Senhor olharão pelas janelas e pelo buraco da fechadura de seus corações, e Ele os julgará por seus atos. Nossa cidade foi construída sobre um pântano, nossa terra já sentiu a ira de Deus antes. Triunfamos, trouxemos a água para o nosso lado. Mas não descansem agora… Foi a prudência e a boa vontade para com o próximo que nos ajudaram a triunfar. — Sim — grita um homem na multidão. Um bebê começa a chorar. Dhana solta um ganido e tenta se enfiar debaixo da saia de Nella. — Se não segurarmos firme as rédeas de nossa vergonha — diz Pellicorne —, voltaremos todos ao mar. Sejam honrados em favor de nossa cidade! Olhem dentro de seus corações e pensem em como pecaram contra seu vizinho, ou como seu vizinho é um pecador! Ele faz uma pausa de efeito, ofegante em sua retidão. Nella imagina a congregação abrindo as costelas de todos, olhando a confusão pulsante em seus corações pecadores, espiando cada um dos corações antes de fecharem seus corpos. No canto da igreja, um estorninho bate as asas. “Alguém deveria deixá-lo sair”, pensa ela. — Eles sempre ficam presos — sussurra Cornélia. — Não permitamos que a fúria do Senhor nos machuque outra vez. — Há diversos grunhidos de concordância vindos da congregação e, a essa altura, a voz de Pellicorne está ligeiramente trêmula de emoção. — É a cobiça. A cobiça é o vício que temos que combater… a cobiça é a árvore e o dinheiro é sua raiz profunda! — O dinheiro também comprou esse seu belo colarinho — murmura Cornélia. Nella fica sem ar, tentando não rir. Ela arrisca um olhar para Frans Meermans. Enquanto a atenção da esposa está voltada para o púlpito, ele observa os Brandt. — Não devemos nos enganar achando que dominamos o poder dos mares. — Pellicorne modula sua voz em um sussurro insistente, tranquilizante, antes de tocar na ferida. — Sim, a generosidade de Mamon se mostrou para nós, mas um dia irá afundar a todos. E onde vocês estarão nesse dia fatídico? Onde? Atolados até o pescoço em doces açucarados e tortas de frango gordurosas? Cercados de sedas e colares de diamantes? Cornélia suspira. — Quem dera — comenta. — Quem dera… — Cuidado, cuidado — alerta Pellicorne. — Esta cidade floresce! O dinheiro dela lhes dá asas para voar. Mas ele é um jugo em seus ombros e vocês deveriam perceber o hematoma que cria em volta do pescoço. Marin estreita os olhos com força, como se fosse chorar. Nella torce para que seja apenas um tipo de êxtase espiritual, uma entrega ao poder das sagradas palavras de advertência de Pellicorne. Meermans ainda está olhando. Marin abre os olhos e percebe isso, então seus dedos apertam ainda mais o livro de Salmos. Ela se mexe no assento, o sofrimento estampado no rosto de cera. A garganta de Nella está seca, mas ela não ousa tossir. Pellicorne está chegando ao clímax e os corpos da congregação se aproximam, tornando-se mais compactos, alertas. — Adúlteros. Homens do dinheiro. Sodomitas. Ladrões — grita o pastor. — Tomem cuidado com todos eles, procurem por eles! Avisem seus vizinhos se a nuvem do perigo estiver se aproximando. Não permitam que o mal atravesse a porta de sua casa, pois, uma vez que o vício chega, é difícil acabar com ele. O chão sob nossos pés se desintegrará, a fúria de Deus cairá sobre nossa terra. — Sim — diz o homem na multidão. — Sim! Dhana late, cada vez mais agitada. — Quieta — sussurra Cornélia. — O que vocês podem fazer para expulsá-lo? — brada Pellicorne, voltando à carga total, os braços abertos como o próprio Cristo. — Amor. Amem seus filhos, pois eles são as sementes que farão esta cidade florescer! Maridos, amem suas esposas, e, mulheres, sejam obedientes, por tudo que é bom e sagrado. Mantenham suas casas limpas, e suas almas seguirão o exemplo! Ele termina. Há suspiros de alívio, sons de concordância, um despertar e esticar de pernas. Nella começa a ficar zonza. A luz brilha nas lápides. Sejam obedientes. Maridos, amem suas esposas. Você é a luz do sol que atravessa a janela, sob a qual me posto, aquecido. Minha querida. O bebê chora outra vez, e Nella e Marin olham ao mesmo tempo enquanto a mãe tenta, sem sucesso, silenciá-lo, afastando-se da congregação e saindo pela porta lateral da igreja. Nella segue o olhar de Marin, ambas fitando com inveja o breve quadrado de dourada luz do sol proporcionado pela saída da mulher. Neste intenso novo mundo de Amsterdã, nesta igreja fria da cidade, uma hora de adoração parece um ano.”



Spoilers:



Johannes é gay; o melhor amigo dele tem raiva por causa de um romance com Marin; só que na verdade era Marin que não quis casar com o tal e o irmão levou a culpa; Marin engravidou do criado da casa e escondeu a gravidez... Nesse meio tempo a miniaturista (que ela descobre ser uma mulher) continua mandando miniaturas das pessoas que Nella conhece que pressagiam o que iria acontecer. Depois descobrimos através da conversa com o pai que ela também chama Petronella e tem um dom que a faz conhecer a alma das pessoas, mas que várias mulheres da cidade também receberam as miniaturas. Realmente dom de Palavra de Conhecimento... No final Johanes morre afogado por ter sido denunciado pelo ex melhor amigo por sodomia e Marin morre no parto. O livro termina literalmente assim mostrando o quão inútil é uma religião sem Cristo e sem Amor!


 

“Não vou machucar você, Petronella, era a promessa de Johannes feita no barco a caminho da Guilda dos Prateiros. Ela sempre achou que gentileza se referia a uma ação. Mas deixar de fazer algo, um gesto de abstenção… isso também seria gentileza? Nella aprendera que a sodomia era um crime contra a natureza. Com relação a isso, há pouca diferença entre um pastor de Amsterdã e um sacerdote de sua infância em Assendelft. Mas quão certo é matar um homem por algo que está em sua alma? Se Marin tiver razão, e isso não puder ser retirado de Johannes, então qual o sentido de todo aquele sofrimento?”

DIVINA INTERFERENCIA

Posted by aventuradeaprender on December 22, 2016 at 8:05 AM Comments comments (0)
RESENHA DE LIVRO


Divina interferência (lido em 2013)

Autor: Jefferson S Fernandes


 

Descubra como, sem dinheiro ou influência uma viúva, dois rapazes e um sábio professor, ajudaram um jovem pastor a impedir que um satanista disfarçado assumisse a liderança de uma das maiores igrejas do mundo.

Este livro mostra o encontro de duas pessoas através de Deus. Eles não tinham nada de especial, mas foram capacitados por Deus para enfrentarem o inimigo e serem moldados por Ele. Estas duas pessoas serão obstáculos de um satanista disfarçado de pastor que irá se tornar presidente das igrejas de sua denominação, com o objetivo secreto de acabar com a pregação do evangelho.

Contando um romance, este livro mostra o que acontece no mundo físico que é gerado no mundo espiritual, mostrando também a influência demoníaca nas escolhas e atitudes das pessoas. Em meio às orações, dos ataques do inimigo e da ajuda de Deus, uma profecia intriga os dois personagens, além das emoções do amor, frustração, dor, morte e encontros e desencontros amorosos.


Gostei bastante do livro quando li. É uma história bem longa e complexa, mas prende muito a atenção. Só discordei de alguns pontos teológicos que acredito que não tem muita importância em relação à história.


Fala sobre uma mãe que casou com o homem errado e engravida. Ele pede pra ela abortar, mas ela não aborta e consagra a criança a Deus mesmo sendo abandonada pelo cara. A criança cresce e tem uma inteligência sobrenatural e dons tremendos, recebe revelação pra escrever um livro e se torna um excelente pastor e líder. Só que um satanista disfarçado dentro da igreja rouba o livro dele e publica como seu, além de humilhar de todas as formas. O pastor desiste do ministério e se esconde pra esquecer o passado a todo custo. Essa situação dura alguns anos até que o amigo, conselheiro e professor dele o procura e, inspirado pelo Espírito Santo convence ele a voltar a trabalhar.


Esse faz isso na igreja pequena que está congregando, mas continua fugindo do passado e pensa em abrir outra igreja ou projeto, além de não falar que já foi pastor mesmo muitos desconfiando disso. Então ele começa a discipular e ajudar um jovem que acaba de perder o pai. Na primeira vez que saem juntos pra trabalhar encontram outro jovem que foi ferido até quase morrer e orou pedindo perdão e socorro pra Deus. Eles o salvam, mas o rapaz não se lembra de mais nada e passa a morar com o outro rapaz nunca esquecendo de tentar lembrar quem ele foi.


Depois de um tempo Deus revela a vida do ex pastor todinha através de uma profecia e diz que ele deve voltar pra onde foi expulso sem esconder quem foi porque que ele voltaria a ter revelações em sonhos e era para um dos rapazes divulgar e o outro administrar.


Então ele sonha com uma musica que é gravada e divulgada pela internet, o que gera convite de várias outras igrejas... O livro vai relatando outras tramas e histórias paralelas, mas quando chega no clímax do satanista ser desmascarado e o verdadeiro pastor ter a restituição o livro acaba com os dizeres “continua”.


Achei muito interessante também que mostra um pouco da realidade espiritual dos anjos e demônios e sua atuação, exatamente como em “Este mundo tenebroso”. A parte que achei mais engraçado é que esse ex pastor não suporta cultos e manifestações pentecostais. Então os anjos e demônios explicam que é uma barreira demoníaca pra que ele não sinta a presença de Deus como antes e assim nunca volte pro ministério, e também é trabalho deles causar sono, cansaço e irritação sempre que se lembrava de algo do passado. Idêntico ao que acontecia comigo. Outro ponto em que me identifiquei foi com relação aos sonhos e profecias porque muitos deles também definiram minha vida e caminhada espiritual.

 


O BOSQUE DOS LILASES

Posted by aventuradeaprender on December 21, 2016 at 8:15 PM Comments comments (0)
RESENHA DE LIVRO


O bosque dos lilases (lido em 2013)

Autora: Lauretta


 

O bosque dos Lilases traz uma coletânea de fábulas "diferentes". São histórias escritas tanto para crianças, bem como para adultos, que compartilham da natureza dos símbolos e das parábolas, isto é, são "estruturas abertas", capazes de acolher diferentes significados e de falar de maneira diferentes, de acordo com aquele que lê. O leitor se sentirá encantado com a nitidez e a espontaneidade dos personagens, das tramas e da ambientação destas fábulas, que mesclam mensagem e história de modo magistral.


Eu peguei esse livro emprestado de uma vizinha em 2006 ou 2007, não me lembro muito bem. Só lembro que quando li me impactou bastante, mas depois eu me esqueci completamente mesmo tendo super me identificado na minha inocência infantil daquela época.


Durante o propósito de 2013 encontrei vendendo em um sebo e não pensei duas vezes antes de comprar novamente. Li porque apesar de serem fábulas são totalmente baseadas em princípios bíblicos e são alegorias do mundo espiritual. Senti-me voltando no tempo e revivi algumas das sensações de quando li pela primeira vez com a diferença de que não consegui concordar com muitas coisas além de sentir uma tristeza imensa e profunda que só agravou a situação na qual eu me encontrava.


Entretanto, nesse ano (2016) estava com muita dificuldade pra escrever essa resenha e li de novo. Foi uma verdadeira surpresa porque me dei conta claramente que o que li em 2013 e não gostei nem concordei porque me deixou muito triste hoje faz todo o sentido assim como fez na minha infância. E talvez até mais porque há 10 anos atrás concordei como ideias e hoje posso dizer que grande parte já se tornou em testemunho.


Desculpem essa resenha toda confusa, mas realmente não tenho palavras pra explicar muito. Pra vocês tentarem ter pelo menos uma ideia vou deixar os títulos das histórias e alguns trechos:


Capítulos:


1. Apresentação

2. Um outro mundo

3. O dedal de ouro

4. A amendoeira

5. O espelho

6. O sonho de um carteiro

7. Onde está Jeremias?

8. O bosque dos lilases

9. A arma mais poderosa

10. A escolha

11. A busca de Beatriz

12. Flor da lua

13. A mudança

14. Peso de anjo

15. A tarefa

16. A casa vazia

17. O mundo ao contrário

18. O pentinho enfeitiçado


Trechos:


“Quando pusermos em prática tudo o que está escrito aqui, não estaremos mais tão longe do Reino dos Céus.”


“... ele preferiu acreditar que era apenas um sonho porque pra conhecer esse outro mundo é preciso sofrer muito...”


“O importante é ser aquilo que se é e não aquilo que se gostaria de ser”


“Ninguém jamais pensou em acreditar em sonhos”


“Feliz aquele que doou tudo, renunciando até mesmo a alegria de saber que eu tinha visto o seu presente.”


“... penso que tenho amor demais pelos meus frutos e não teria coragem de cortar quaisquer dos ramos de minha árvore... e compreendeu que precisava de ajuda porque ninguém pode tornar-se perfeito sozinho.”


“... a felicidade, alguém já disse, é a única coisa que podemos dar sem que nós a tenhamos. Basta esquecer-se um pouco de si mesmo e lembrar-se dos outros.”


“Mas também o sofrimento tem alguma coisa para ensinar. Por isso, deixe desabrochar a dor em seu coração.”


“... ainda que você jamais o tenha visto, enche de alegria toda uma vida. E a luz do sol, que lá brilha dia e noite, derrete o gelo que existe em você.”


“... tudo está igual como era antes... e, no entanto, nada mais é como antes...”


“Existem coisas mais fortes que nós não temos como prever... Poderia também ter acontecido a mim de esquecer, de trair...”


“Ninguém pode lhes forçar a uma escolha, mas vocês serão julgados por ela... e absolvidos... ou condenados... quando a linha do trem chegar...”


“A minha alegria... não é minha. Ela me foi dada para que eu possa transmiti-la a todos à minha volta... Um dia eu também terei um pouco para mim. A minha porção está guardada em algum lugar e me será dada quando eu tiver terminado a minha tarefa.”


“Conheço a profundidade do meu coração, porque, quando tudo é escuridão fora de nós, somos obrigados a olhar pra dentro de nós. E, dentro de nós, existe um mundo inexplorado com seus jardins floridos e seus enormes desertos... seus dias de sol e suas noites de trevas...”


“... nada termina, mas tudo continua. E no novo habita o velho.”


“Essa é uma lei, pois, junto com o peso, também lhe é dada a força para levá-lo. E, então, os fracos descobrem que são fortes. Porque o peso é levado. Não é colocando-o de lado que se poderá viver em paz. Apenas aquele que se curva com o peso que lhe foi dado conhece a verdadeira paz e a alegria. Uma alegria que antes não conhecia quando andava de cabeça erguida.”


“Ela, que tinha sonhado grandes batalhas para poder ficar sobre o ramo e esperar pelo inverno! Como pôde render-se dessa forma?”


“É verdade que poderei ver o inverno? – sim, e não apenas um: muitos invernos esperam por você!”


“Não se aprende mesmo nada daquilo que vemos todos os dias?... toda tempestade termina com um arco-íris. Mas, quando se desencadeia uma tempestade num coração, parece que tudo está perdido.”


“A tempestade é um bem porque quando humilha, destrói, dobra e separa, não o faz por capricho, mas para construir algo mais sólido e novo... cada ferida leva já dentro de si o remédio para sua cura.”


“... quanto mais eu ia longe, mais eu ouvia uma voz no fundo do meu coração que me dizia que não era fugindo que eu encontraria a solução dos meus problemas.”


“... o preço da rebelião é a amargura; uma amargura que muda toda uma vida. E que é apenas aceitando as coisas que não podemos mudar que se encontra a verdadeira paz.”


“... inverter as coisas significa ter compreendido que existem pensamentos que não se assemelham aos nossos, que existem caminhos que não são os nossos, mas são os únicos caminhos que conduzem à Paz”


“... você destruiu todos os seus poderes porque ele nada pode contra a inocência...”

UMA DOBRA NO TEMPO

Posted by aventuradeaprender on December 17, 2016 at 8:15 PM Comments comments (0)
RESENHA DE LIVRO



Uma dobra no tempo (lido em 2013)

Autor: Madeleine L’Engle


 

Pense em um fantástico universo paralelo, onde magia e ficção científica se misturam de forma tão radical que é impossível descobrir onde uma começa e a outra termina. Imagine-se navegando entre mundos incríveis, interagindo com seres improváveis e sinistros, encarando seus maiores medos e defeitos e revelando suas melhores virtudes, mesmo quando tudo parece se voltar contra você...

Os protagonistas desta história, Charles Wallace Murry, um garotinho superdotado, sua geniosa irmã, Meg, e Calvin, um novo e audacioso amigo, estão prontos para enfrentar esse desafio. Curiosos e sonhadores, eles quase sempre são incompreendidos pelos adultos e pelo mundo que os cerca, mas ninguém poderia dizer que tem medo de enfrentar o desconhecido.

Guiados por três gentis senhoras que escondem um segredo terrível, eles atravessam o tesserato, uma dobra no tempo, e mergulham seus átomos ionizados numa temerária missão de resgate. O sr. Murry, um famoso cientista, se perdeu num vórtice temporal e foi preso por uma poderosíssima entidade nada bacana, que fará o impossível para prender também as crianças – por toda a eternidade!


Eu ouvi falar desse livro em 2010, através de uma pesquisa na internet. Dizia-se que se tratava de uma ficção científica cristã. Eu procurei desde aquela época, mas não encontrei porque estava esgotado na editora evangélica que o publicou há muitos anos. Em 2013, finalmente descobri que uma editora secular havia republicado e mesmo assim foi difícil de achar, mas achei depois de muita procura.


O livro é excelente e prende muito a atenção. Se não me engano o li em uns dois ou três dias. Entretanto, é perigoso, muito perigoso e jamais deveria ser considerado como uma obra cristã, apesar de assim o declarar. Claro que ele tem princípios e valores cristãos, mas isso outras obras seculares também tem, especialmente as feitas para crianças.


Eu não pude deixar de me identificar porque a personagem principal (Meg) se parece muito comigo. É excêntrica, desprezada, mas é espontânea e autêntica. Diferente do irmão dela que é um gênio, mas se passa por idiota porque todos acham que com 5 anos de idade ele ainda não aprendeu nem a falar porque assim faz questão de demonstrar. Logo no início eu já gostei porque Meg se lembra de quando o pai dos meninos disse a eles que sabia que eles são mais inteligentes e capazes do que os ditos bem ajustados e normais. A mãe dela também diz:


“Você é franca demais pra fingir ser o que não é”


Como eu disse, o livro tem muitas referências bíblicas e ensinamentos importantes, sendo o principal deles de que devemos ser quem nós somos e não quem a sociedade quer que sejamos porque ela pode ser (e é) manipulada pelas forças do mal, que no livro é referida como “das sombras” e biblicamente sabemos que são demoníacas.


“Estamos cientes de que somos de Deus e que o mundo inteiro jaz no Maligno” 1ª João 5. 9


As crianças vão parar em um planeta manipulado por uma entidade que se auto denomina “ele”. O objetivo desse ser é tornar a todos iguais pra que possam ser manipulados. E essa entidade consegue isso quando a pessoa deixa de resistir e se entrega ao seu controle. Uma vez obtido o controle a forma de se quebrá-lo é através do amor. O amor ágape, incondicional, que Jesus demonstrou e nos ensina a demonstrar também. Amor esse que o diabo e os demônios jamais poderão entender porque eles não tem capacidade de amar.


“Nisto conhecemos todo o significado do amor: Cristo deu a sua vida por nós e devemos dar a nossa vida por nossos irmãos”. 1ª João 3. 16


Entretanto, os pontos negativos são:


1 – É citado para as crianças sobre os combatentes da sombra (demônios), que a maioria veio do planeta terra. Em Cristo, podemos sim vencer o mal (e acredito que até mesmo os que não O conheceram, mas seguiram a Lei interior explicada em Romanos 2). O problema é que a autora coloca Jesus no mesmo nível dos humanos citados.


2 – O livro é repleto de criaturas alienígenas que são neutras, ou seja, nem do bem e nem do mal. Na verdade eles chegam a dizer que não fazem o mal, mas não estão nem aí pra terra. E bem sabemos que “alienígenas” (que não são da terra) ou são anjos ou são demônios e anjos jamais agiriam dessa forma. Outros, o livro dá a entender mesmo que são anjos, mas anjos da forma que mostram são absurdamente estranhos. Isso é extremamente perigoso porque pode colaborar com a operação do erro (os ET’s que se mostram como salvadores e entidades iluminadas, mas são demônios). Apesar de que há a possibilidade de que Deus criou vidas em outros planetas e que eles não interferem aqui o fato de esse livro mostrar uma interferência, ainda que pra pessoas tidas como “especiais” é algo pra se tomar cautela.


3 – Há as três senhoras que são tidas como bruxas, mas depois dão a entender que são estrelas que abriram mão de serem estrelas para serem guardiãs. Meu Deus! Entretanto, a forma que se apresentam é mesmo idêntica a de bruxas que usam chapéus e guarda chuvas pra se locomoverem (vide filmes “a caixa”, “agentes do destino” e “a convenção das bruxas”). Eu quase fui envenenada por uma no meio da rua apenas alguns meses depois que li o livro. Um dos personagens até explica que elas não são bruxas, mas se aparentam como tal pra confundir... Isso até pode ser verdade: o usar as armas dos inimigos contra eles mesmos e tals... Mas essa história de terem sido estrelas é no mínimo bizarra, apesar de não ser exatamente herética.


Enfim, é um livro curioso, intrigante e envolvente, mas que pode ser perigoso... Apesar de que tudo o que aparece de estranho pode sim ter explicação. Outra interpretação possível é a de que eles não acessaram outros planetas, mas o mundo astral, que é tipo uma prisão demoníaca feita na alma das pessoas. Isso também poderia fazer algum sentido, mas nesse caso parece que nem a autora do livro entendeu o significado. Esse é um conceito que só passou a ser ensinado e revelado há alguns anos. Eu, por exemplo, só nesse ano tomei conhecimento e pude entender várias coisas que antes não entendia.


O problema é que para aqueles que não têm discernimento isso pode se tornar uma armadilha mortal. Eu não tenho como julgar as intenções de quem escreveu, mas eu posso sim julgar o conteúdo. E é isso que pretendi fazer nessa análise. Apesar de ser um livro extremamente agradável de ler eu não recomendaria a todos. E como já disse, não chamaria de uma obra cristã, mas apenas de uma boa ficção.


Entretanto, um ponto interessante a se considerar é que o livro sofre intensa perseguição pelas inúmeras citações bíblicas literais ou “muito na cara”. Se o inimigo não gosta é porque realmente deve ser bom. Pesquisando soube até que foi feita uma versão em filme, mas tiraram as citações bíblicas.


No final do livro, há um discurso da autora que acho que vale o livro todo. Esse sim, pude concordar totalmente. Ela explica que os mitos em geral onde foram baseadas muitas das obras pra crianças partilham da linguagem universal o que torna os pequeninos mais próximos de Deus do que muitos adultos e que é por isso que precisamos nos tornar como eles. Existe um livro que tenho, mas ainda não li que se chama “O fator Melquisedeque”. Ele mostra como Deus se revelou em todas as culturas ao longo dos milênios. Recentemente soube também do Evangelho das estrelas, mas só existem livros publicados em inglês. O máximo que consegui em português foi um resumo feito pelo irmão Delcio Meireles. Tudo isso apenas deixa muito claro que toda narrativa realmente pode nos mostrar a Deus mesmo tendo sido corrompida de todas as formas pelo inimigo ao longo dos tempos.

A QUARTA DIMENSAO

Posted by aventuradeaprender on December 16, 2016 at 3:45 PM Comments comments (0)

RESENHA DE LIVRO



A quarta dimensão (lido em 2013)

Autor: David Yonggi Cho

 

A quarta dimensão é um reino no qual poucos têm entrado. Vai além do viver comum e leva a pessoa a um modo de viver ativo – ao mundo da oração respondida, da fé dinâmica e da verdadeira comunhão com Deus.


Eu sinceramente não me lembro quando e como ouvi falar desse livro, mas tem muito tempo. Só sei que nunca tinha tido vontade de ler porque sempre ouvi falar que é herético ao extremo. Entretanto, eu me lembro de alguns fatos isolados que contribuíram. Algumas conversas, um encontro na igreja, uma pregação que ouvi na internet, um sonho de uma amiga... Por causa disso tudo resolvi deixar o preconceito de lado e ler.


Apesar dos problemas gostei bastante da leitura. Mesmo sendo um livro de ensino também teve muito testemunho e eu ri demais em algumas partes. Por exemplo: o autor conta que quando começou a pregar sobre incubar e engravidar que o povo entendia de forma literal e ficava caçoando dele. Ele explicou que a quarta dimensão domina as outras três dimensões materiais (linha, plano e cubo) e que o cubo é a representação da geração da vida na terceira dimensão (por isso incubar que é sinônimo de engravidar). Falou também que os sonhos e visões são a linguagem da quarta dimensão. Só devemos ter muito cuidado porque testemunho pessoal não pode virar doutrina em hipótese alguma. Ele teve essa direção e a seguiu, mas não podemos nunca imitar isso.

 

Eu entendi o porquê muitos criticam esse livro dizendo que ele promove heresias de que o subconsciente é um deus e que podemos criar tudo pela visualização. Na verdade ele não diz exatamente isso. O autor deixa bem claro que o povo da nova era e auto ajuda desenvolve isso de forma humana ou satânica, mas que não é igual e não trás crescimento espiritual porque sem Jesus não há salvação. Ele explica também mais claramente ainda que é preciso ter a palavra rhema (direção e propósito específico de Deus) e não apenas logos (conhecimento e vontade) porque diante da Vontade de Deus a nossa não vale nada e nunca pode ser priorizada.


Outra diferença entre o que é de Deus e o que é do diabo é que as coias de Deus são pra todos e o nível do crescimento espiritual depende da nossa Vontade em nos submeter a Deus. Ou seja, cresce quem diminuí a si mesmo pra que Ele possa crescer. Já o que é do diabo é apenas pra alguns “escolhidos” e a pessoa cresce pelo esforço próprio. Apenas nesse ano (2016) aprendi que isso se chama gnosticismo, mas já tinha entendido mais ou menos as diferenças entre o que é de Deus e do inimigo.


Mesmo assim precisamos tomar bastante cuidado porque quando o autor explica como conseguiu o modelo astronômico de crescimento da igreja que pastoreia realmente é ensino de nova era e visualização criativa. A explicação mais equilibrada que encontrei sobre isso está no livro “A história não contada do século XX” que li nesse ano (2016). Resumindo: Deus pode abençoar algumas coisas feitas em uma mistura de formas certas e erradas por ignorância. Antes de se converter o autor leu livros de autores de nova era que ensinam essas técnicas e como não sabia que eram erradas resolveu usar também. Entretanto, juntamente com isso orava e jejuava muito, além de vigiar constantemente contra o pecado, o que realmente é o modelo correto e bíblico. Isso explica também o porquê vários tentarem imitar esse modelo de crescimento da igreja e não ter dado certo: sem oração, jejum e vigilância (que é o que realmente havia de bíblico) estava fadado ao fracasso total.

 

Outro ensinamento importante é que o que impede Deus de se manifestar nas nossas vidas é o ódio, inferioridade, medo e culpa. Isso é totalmente verdade porque o Espírito Santo não está nessas coisas e por isso quem as cultiva não pode crescer espiritualmente.

 

Enfim... Ensinamentos bons misturados com testemunhos que nunca podemos imitar. Como diz Paulo: devemos examinar tudo e reter o que é bom.

O ANDAR NO ESPIRITO, O ANDAR NO PODER

Posted by aventuradeaprender on November 10, 2016 at 7:50 AM Comments comments (0)
RESENHA DE LIVRO


O andar no Espírito, o andar no Poder (lido em 2013)

Autor: Dave Roberson

 

A Porta Para Um Novo Mundo

 

Você está faminto por um caminhar mais íntimo com Deus?

 

Se estiver, então prepare-se para explorar um novo território que pode ajudá-lo a mudar o seu destino!

 

Neste livro, Dave Roberson compartilha percepções bíblicas profundas de revelação do dom de orar em línguas, a chave que abre o que nós chamamos de “a porta para um outro mundo.”


Eu já tinha lido esse livro em 2011 por indicação de uma amiga e foi um dos melhores e mais completos que já li. Por isso resolvi ler novamente durante o meu propósito de leitura cristã em 2013.


Apesar de falar sobre oração em línguas esse não é o tema central do livro. O autor trata o dom de línguas como uma ferramenta no processo de mortificação, purificação, amadurecimento e perfeição espiritual. Discordo dele quando ele diz que todos os cristãos devem ter esse dom porque sei que não é assim, mas concordo que é uma das (e não a única) ferramenta que Deus usa pra esse processo. Ele até chega a dizer que as línguas são um atalho pra maturidade espiritual sem tribulação e sofrimento, o que é realmente um absurdo porque aqueles que querem ser perfeitos com ou sem línguas precisam sim sofrer porque é isso que quebra o ego e nos torna dependentes de Deus.


O autor explica que Deus tem um propósito pra cada pessoa nascida na terra, mas ele só pode ser cumprido quando deixamos o Espírito Santo trabalhar em nós.


Uma parte engraçada foi quando ele explicou que atualmente o dom de línguas não tem sido usado pra edificação pessoal como Deus planejou, mas como forma de o mundo achar que os cristãos são loucos. Infelizmente por causa disso há muitos que nem creem na existência desse dom ou pensam serem apenas idiomas terrenos, mesmo essa manifestação também sendo válida. Na verdade ele fala que existem 4 modalidades:

1 – Língua estranha sem interpretação pra edificação pessoal

2 – Língua estranha com interpretação pra edificação coletiva

3 – Língua terrena pra evangelização

4 – Choros e gemidos pra interseção

 

Gostei bastante de uma parábola que o autor usa pra ilustrar como somos nós tentando não pecar com as nossas próprias forças. Então ele conta que havia uma irmã chamada “Dieta” e que precisava emagrecer. Aí ela decidiu começar um regime e aguentou por quatro dias até que assaltou uma loja de doces e comeu mais do que estaria acostumada se não estivesse em jejum. É assim que funciona tentar ser santo por meios carnais: conseguimos não pecar por um tempo e depois acabamos nos entregando ao pecado ainda mais do que antes. Não devia, mas eu ri até... Acho que todos nós podemos nos lembrar de períodos assim em nossas vidas.


Ele explica através da Bíblia e de testemunhos que o Espírito Santo precisa nos fazer andar em santidade para operar no Poder de Deus porque senão acabaremos destruídos pelo Poder d’Ele e traremos destruição para a vida dos outros. Isso explica porque muitos que querem buscar o Poder sem santidade acabam doentes e até mesmo loucos.


Outro momento muito engraçado foi quando ele disse que foi levado por Deus a uma igreja super tradicional que não aceitava dons e milagres e os pastores se portavam como professores de universidades. Ele foi usado pra curar algumas pessoas e literalmente perturbou todo o “culto”.


Gostei bastante também da explicação em relação às bênçãos materiais. O autor explica que assim como os pais não ficam com raiva dos filhos pedirem presentes e dá livremente, mas não mimam dando tudo o que as crianças querem Deus age da mesma forma. Ele tem prazer em dar e abençoar, mas não nos mima porque sabe o que é melhor pra nós. Por isso espera que usemos a oração e mortificação pra adquirir bênçãos espirituais e para sermos canais de bênçãos para os outros ao invés de nos preocuparmos exclusivamente com nós mesmos.


Ele explica também que jejum, oração e sacrifícios não movem Deus como os tradicionais nos acusam de tentar fazer e como alguns sem conhecimento julgam estar fazendo. O que acontece é que tudo isso mata a carne e quando a carne morre é mais um espaço para o Espírito Santo agir. Não é Deus que se move, somos nós que somos movidos a mais perto d’Ele. Isso me ajudou demais desde a primeira vez em que li o livro porque tinha o pensamento errôneo que se Deus já pagou tudo nada mais era necessário.


Outro ponto em que discordei é quando fala que os demônios não entendem as orações em línguas. O autor conta alguns testemunhos de como eles ficam furiosos quando se ora assim especialmente em processos de libertação. Que eles ficam irritados é mesmo verdade. Dizem que até mesmo o padre Gabriele Amorth do Vaticano dizia isso, mas daí a ser porque eles não entendem é apenas especulação.

 

A parte do livro que achei mais difícil de digerir é quando o autor diz que quanto mais buscarmos a Deus mais vamos cair. Isso acontece porque o Espírito Santo precisa mostrar as áreas de nossas vidas que antes estavam sendo apenas domadas com a nossa força de vontade que é inimiga mortal do efetivo trabalhar de Deus. Aí se a pessoa não tem uma base forte vai ouvir setas inimigas de que tudo está perdido, tudo acabou, perdeu a salvação, nunca foi salvo... Quando na verdade tudo isso faz parte do processo de Deus. Isso não significa que devemos pecar deliberadamente pra sermos abençoados porque seria uma loucura sem tamanho. Infelizmente tem muitos que fazem isso, mas quem tem prazer na prática do pecado é porque nunca foi convertido. O que acontece é que muitas vezes tentamos não pecar com nossa força de vontade e Deus precisa nos mostrar que esse é um engano.

 

O irmão Délcio Meireles tem uma pregação muito interessante que se chama "A restauração de Pedro" sobre esse assunto. Pedro é o tipo perfeito dessa realidade que todos os que pelo menos começam a experimentar o Poder e a revelação de Deus enfrentam. É aí que muitos param e por isso realmente caem. Deus nunca se afasta de nós, mas nós podemos nos afastar d’Ele. Não é a toa que a terminologia que o livro usa pra tudo isso é "galhos secos". Se a gente não mexer eles ficam quietos, mas não crescemos. Se a gente cortar uma parte eles continuam crescendo secos. O único jeito é acabar com eles pela raiz. E como se faz isso? Com fogo. E fogo queima e dói... Digo isso por experiência própria.

 

Esses galhos secos nada mais são do que a nossa velha natureza que luta incessantemente contra a nova. E o processo muitos chamam de crescimento, aperfeiçoamento, maturidade, santificação, libertação, transformação, substituição, edificação, quebrantamento, esvaziamento, configuração... Todos esses nomes estão corretos, mas nenhum deles expressa totalmente essa realidade que é sublime demais até pra se colocar em palavras.

 

A parte que mais me deixou chocada é que o autor usa a metáfora do nosso ser como um quarto de hotel em que ele se hospedou. Então ele explica que quando acendeu a luz apareceram várias baratas que se esconderam e conosco acontece o mesmo... Quanto mais a Luz de Deus ilumina, mais os feitos da nossa carne aparecem e tentam se esconder, por isso precisamos matá-los assim como ele matou as baratas no hotel. E esse é um processo até chegar à cobertura onde mora o “rei barata” que é o nosso “eu”. Deixou-me chocada porque tive um sonho exatamente assim, mas ao invés de um quarto de hotel era literalmente um castelo em que eu entrei por achar estar segura, mas acabei tomando uma surra daquelas. Só meses depois desse sonho quando o irmão de um grupo teve um parecido me lembrei desse trecho do livro que havia lido anos antes.

 

Desculpa a confusão, mas o livro é realmente tremendo e é muito difícil organizar todas as ideias.

 

Capítulos do livro:

 

1 - A Obra do Espírito Santo Dentro de Você

2 - Minha Jornada Pessoal pela Revelação

3 - Dons Espirituais e Suas Operações

4 - Variedades de Línguas pelo Governo de Deus

5 - As Quatro Variedades Básicas de Línguas

6 - A Fonte da Revelação de Paulo

7 - Orando os Mistérios do Plano de Deus

8 - O Canal Através do Qual o Espírito Santo Fala

9 - O Processo de Edificação

10 - Purificação e Mortificação

11 - Superando os Impasses na Oração

12 - Purificando para Permanecer na Brecha

13 - Oração e Jejum: os Dois Poderes Gêmeos

14 - Como Orar Efetivamente em Línguas

15 - A Progressão Divina do Amor Ágape


Alguns trechos do livro:

 

Na eternidade do passado, um plano vasto e complexo desvendado para a humanidade veio de Deus para nós. Na Sua infinita sabedoria, dentro de sua visão para todos os tempos, Ele não deixou nada de fora. Ele passou por gerações a gerações, planejando todo detalhe intrínseco de toda vida que viveria na face da terra. O desejo de Deus era recuperar da rebeldia de Satanás o maior número possível de pessoas e juntar para Si Mesmo um povo o qual Ele chamaria de Sua família.

 

Em algum lugar na elaboração do plano divino, muito antes do início dos tempos, Deus se deparou com o seu nome! Então, Ele formulou um plano perfeito, somente para você, inigualável a qualquer outro plano para qualquer outra pessoa que já nasceu de novo. Imagine – Deus, o Pai – encontrou através do grande vazio do espaço e tempo o momento em que você viveria sobre esta Terra. Então, Ele decidiu precisamente como aquele momento seria preenchido!

 

Nós Precisamos Escolher o Plano D’Ele

 

Deus criou um plano maravilhoso para cada um de nós. Em Seu plano, nós fomos predestinados para nos tornarmos Seus filhos e filhas, pela Cruz. Mas um grande obstáculo está entre nós e os propósitos perfeitamente criados por Deus: Usando o livre arbítrio que Deus nos deu, nós devemos escolher andar no Plano que Ele ordenou para nossas vidas.

 

Jesus diz que satanás só vem para matar, roubar e destruir (João 10:10). E você bem sabe - o diabo é bom nisto! Ele não faz mais nada senão estas três coisas. Matar, roubar e destruir são suas especialidades desde que sua luz apagou e caiu do céu (Is. 14:12). E se você julgá-lo mal - se você não levá-lo a sério – ele poderá destruir você!

 

Satanás não é um inimigo para se desprezar. Ele é esperto e vem por uma única razão: matar. Ele não faz nada mais do que isto; ele não sabe nada mais do que isto. E se você não tomar cuidado com as suas estratégias, pela sabedoria de Deus, ele terá sucesso em matar tudo o que é bom na sua vida.

 

Este poder espiritual e autoridade são os meios que Deus nos dá para superar tormento, preocupação, medo e falta de esperança, que podem dominar nossas vidas quando passamos de uma situação angustiante para outra, perdendo a direção constantemente. Orar em outras línguas também supre o poder para superar falhas de caráter – aqueles traços de caráter que estão enraizados e continuam aparecendo e roubando todo o nosso vigor e iniciativa de superar os testes e as tribulações que precedem quase todas as grandes vitórias e promoções de Deus.

 

Veja, é bom dar honra onde a honra é devida e mostrar respeito a um ministro do evangelho. Mas se você pensa que o chamado dele é mais honroso que o seu, pense novamente. Deus não faz acepção de pessoas. Você também é um dom precioso para o corpo de Cristo! Qualquer que seja o seu chamado ou função, ele é tão importante quanto o chamado de um ministro aos olhos de Deus. Você deve ser tratado com o mesmo respeito que qualquer outro ministro.

 

Deus quer santidade porque se o seu Poder operar através do nosso caráter que não é santo eventualmente pode destruir o vaso através do qual o poder flui.

 

Entenda que a liderança do Espírito Santo não é uma fantasia ou um pensamento passageiro. Quando você está sendo guiado por Ele, a sua vida não será deste jeito: “ah, eu acho que Deus quer que eu vá para aquela cidade

amanhã”. Então, no dia seguinte: “ah, eu não estou bem certo se Ele quer que eu vá ou não”. E, no outro dia: “ah, eu acho que Ele quer mesmo que eu vá”.

 

A sabedoria e a liderança de Deus irão gradativamente consumir e dominar você, até que a voz do Espírito Santo se torne mais alta do que o inimigo que o cerca com circunstâncias e adversidades dizendo que você irá falhar. A unção do Espírito Santo estará sempre presente, a cada nível do plano de Deus que você atingir, dando-lhe graça para cumprir a perfeita vontade d’Ele

 

Penso que você não faz ideia do quanto o diabo tem medo da oração. Veja, ele sabe que tem apenas uma chance para lhe impedir de cumprir o propósito que você nasceu para cumprir: ele tem que tirar você da oração para não permitir ao Espírito Santo trabalhar o plano de Deus em você.

 

Seja lá o que você esteja fazendo, você não está fazendo porque você não quer. Se você não está orando como deveria, a razão é simples: você não quer. Você tem um chamado. Ninguém mais tem. Você vai deixar que a sua carne preguiçosa impeça você de ouvir as palavras, “bom trabalho”? Eu acho que não!

 

Precisamos entender que Deus sempre se comunica com o nosso espírito. Se não soubermos como identificar a diferença entre Deus se comunicando com o nosso espírito e o diabo enganando nossa mente, andaremos na direção errada na maior parte do tempo. Por quê? Porque o diabo tem estudado a humanidade por seis mil anos e ele aprendeu algumas maneiras específicas para nos enganar e nos manter andando em círculos.

 

Em Marcos 11:23 está escrito que eu posso dizer a um monte em minha vida, “ergue-te e lança-te no mar”, e se eu não duvidar em meu coração terei o que eu disser com a minha boca. A condição aqui é que eu não duvide em meu coração.

 

Portanto, quando eu falar a um monte, a única questão entre um andar de poder para derrotar o diabo e mover montes e eu é: será que eu tenho coragem de orar até que o poder venha? Porque não é uma questão do poder vir ou não. Ele virá. A única questão é, será que eu tenho coragem de perseverar até que ele venha?

 

O processo de purificação nem sempre é agradável, mas, é sempre necessário, porque de um jeito ou de outro, nós seremos purificados. Podemos escolher ser podados agora em nossas falhas e erros, ou podemos esperar até

o Dia do Julgamento de Cristo, quando nossas obras serão provadas pelo fogo (1 Co. 3:12-15). Naquele dia, todas as obras de nossa carne que não conseguimos mortificar nesta vida serão purificadas para nós.

 

O engano é a arma mais poderosa de Satanás. Seu objetivo é tirar nosso galardão, mantendo-nos na ignorância sobre o que Jesus nos chamou a fazer em nossas vidas. O diabo sabe que, no último dia, seremos galardoados pelo quanto do plano pessoal de Deus conseguimos cumprir em nossas vidas. Portanto, eu não quero esperar até o dia do Grande Julgamento de Cristo para receber a purificação de todas as obras carnais que atrapalharam o meu caminhar com Deus. Eu quero saber como o Espírito Santo opera em minha vida agora, para me preparar para o meu chamado divino.

 

Eles estão sempre tentando colher o fruto ruim da árvore de suas vidas, sem antes lidar com a raiz que gerou o fruto ruim!

 

Você sabe o que significa força de vontade? É quando você tenta o máximo que pode para se disciplinar contra o problema usando sua própria vontade. Mas, mesmo tentando ao máximo, algumas vezes você simplesmente não consegue quebrar o hábito carnal, usando a força da sua própria vontade. Por outro lado, a mortificação através do Espírito é o processo pelo qual o Espírito Santo se levanta de dentro de você para destruir as amarras que a carne tem sobre você. Em vez de o pecado lhe dominar, você ganha domínio sobre ele!

 

A força de vontade só pode levá-lo até um certo ponto da batalha para superar os feitos da carne. A única maneira para realmente mortificar estas obras carnais de uma vez por todas é através do Espírito. É através d’ele e de acordo com a palavra de Deus que mortificamos os feitos do corpo – os medos, falhas e maus hábitos com os quais a carne tenta nos manter em um ciclo de derrota eterno. Essa é a única maneira que podemos tirar os limites de nossas vidas.

 

Eu descobri que um dos principais papéis da liderança do Espírito Santo em nossas vidas é nos tirar de todos aqueles caminhos que sobraram do domínio da natureza carnal. Estas “sobras” podem sabotar tudo o que Deus está tentando fazer em nossas vidas.

 

Os galhos mortos com os quais o Espírito Santo está lidando em nossa vida são os últimos quarenta por cento. Estamos no caminho para um andar de cem por cento. Não é tão difícil andar na vontade de Deus com trinta por cento ou sessenta por cento. Mas, os últimos quarenta por cento são um desafio, pois lidam com o andar no amor de Deus ou não.

 

A pior coisa da qual precisamos ser purificados é do autocontentamento e da indiferença. A nossa carne sempre tenta nos convencer a estar satisfeito. Mas veja, a fome no interior de nosso espírito deve ser mais forte que a voz da nossa carne.

 

Uma pessoa pode mentir porque ela não quer mostrar o que realmente é. Por exemplo, ela pode ser preguiçosa. Talvez ela não tenha feito o que disse que faria. Então, ela tenta encobrir a verdade: “eh, eu fiquei meio ocupado”. Você não estava ocupado, seu preguiçoso! Você poderia ter feito o que deveria! Aí o diabo vem em seguida com um ataque. Você diz, “eu amarro você!”. O diabo responde, “ah, cale a boca! Você não pode me resistir sem a sua armadura espiritual! Então, antes de pensar em me amarrar, pare de mentir!”.

 

O Espírito Santo espera pacientemente que entreguemos a nossa autoridade a Ele, porque Ele tem uma obra a fazer dentro de nós. Ele fortalecerá nosso homem interior, nosso espírito humano nascido de novo, com poder suficiente para colocar para morrer, os feitos da carne e purificar e podar cada galho morto de nossa vida, um a um. Ao fazê-lo, o Espírito Santo tem a liberdade de aumentar seu trabalho de revelar mistérios divinos para nosso espírito. Então, uma coisa é certa – quer seja mortificação ou revelação, nossas orações no espírito estão sendo respondidas!

 

Oh, Eu virei de um lugar de dentro de você onde você acha que não tem força e lhe direi, “levante-se e tente novamente”. Por mais que você se desanime, certas vezes, saiba disto, meu filho – você não está abandonado. Levante-se, levante-se, levante-se, e minha força estará com você continuamente para recomeçar, recomeçar e recomeçar. Em momentos quando você acha que cairá você não cairá; você permanecerá em pé. Porque eu virei de um lugar de dentro de você e lhe darei força, diz o Espírito da Graça, a qual você jamais pensou que tivesse.

 

Um impasse é um platô espiritual ou um lugar árido que geralmente aparece um pouco antes que Deus esteja pronto para mover você em uma posição superior em seu espírito. Você terá que ultrapassar muitos impasses se você quiser perseverar na oração. O mais comum deles é a tentação de se esquivar dela. O diabo tentará tudo o que pode para lhe tirar da oração.

 

Quando o processo de edificação começa a iluminar os feitos da carne que estão escondidos na escuridão, ele ilumina não somente aquelas coisas de que você quer se livrar, mas, as coisas que você não quer. O Espírito Santo removerá estes bloqueios espirituais da escuridão e os colocará à mostra e você poderá ver mais claramente com o que você está lidando. É neste momento que as suas emoções podem algumas vezes ir à loucura.

 

À medida que a luz da edificação brilha mais e mais, o Espírito Santo começa a descobrir alguns dos bloqueios mais difíceis de lidar, como falta de perdão e egoísmo. As emoções negativas se tornam mais fortes, trazendo muito tormento. O diabo usará estas emoções e tudo mais em seu poder para tirá-las da oração, arremessando dardos ferozes de incredulidade, derrota e engano em suas mentes, ao máximo que ele puder.

 

Uma pessoa pode passar por este tipo de impasse se ela persistir na fé e na oração. As emoções de falta de perdão, egoísmo e assim por diante, se tornarão tão fortes que será impossível ignorá-las. Quando a pessoa finalmente reconhece quão feias são estas obras carnais, o poder do Espírito Santo lhe dará a força interna para lidar com elas. Arrependimento verdadeiro pode acontecer, o que levará à mortificação, vitória e libertação.

 

O Espírito Santo é aquele que Deus enviou para iluminar e fortalecer seu espírito nascido de novo para fazer morrer os feitos da carne que impedem seu andar n’Ele. Mas, mesmo se você não deixar que o Espírito Santo exponha as coisas escondidas na escuridão, mais cedo ou mais tarde, elas serão reveladas. Você não vai a um porão imundo, acende a luz e diz, “meu Deus, quanta sujeira esta luz trouxe!” Não, a sujeira já estava lá. A luz apenas a expôs.

 

Quando estes crentes não perseveram durante o impasse, eles interrompem a missão do Espírito Santo de purificar tudo o que os distrai do caminho de seu divino chamado. Tornam-se vulneráveis às tentativas do inimigo de levá-los à carnalidade e a vocações secundárias, fora da perfeita Vontade de Deus.

 

Se não desistirmos, este processo de edificação irá fazer com que as falhas de caráter que nos atrapalharam no passado apareçam. O Espírito Santo irá nos trazer face a face com a raiz que gerou o fruto ruim – em outras palavras, as obras da carne em nossas vidas. Temperamentos ruins que nunca demonstramos também podem aparecer

 

Mas, este nível de intercessão também atrai poderes e principados para desafiar a sua autoridade. Estes poderes demoníacos irão mover em você com a violência de um trem de carga. O alvo será qualquer fraqueza ou falha de caráter que possa ser usada para parar e destruir você, como a sua susceptibilidade a desejos que não são de Deus, ou protelação. Uma montanha cheia de feitos da carne se põe entre você e o plano de Deus para sua vida.

 

O Espírito Santo irá se centralizar naquela montanha “com gemidos inexprimíveis”. Estes gemidos não se referem somente à algo que não pode ser exprimido. Eles também estão falando sobre atingir um lugar no espírito onde você começa a odiar muito tudo o que está entre você e o plano de Deus, levando você a entrar em um estado de gemidos ou de angústia. Seu coração clama, eu queria que isto não estivesse em minha vida! Senhor, eu odeio isto!

 

Nesta hora, você dá ao Espírito Santo a fé que Ele precisa para vir e mover a montanha do caminho. Se você perseverar em oração e não aceitar que a montanha lhe derrote, em algum momento você experimentará um “derretimento”, onde o Espírito Santo removerá a montanha e você estará do outro lado com a vitória. Por quê? Porque você não pode continuar a orar e permanecer com o problema. Ou você para de se edificar e se entrega às obras da carne, ou você permite que o Espírito Santo as tire de sua vida.

 

Esta chave irá bloquear a natureza carnal com a mesma força usada por Deus para fechar a porta da arca de Noé contra um mundo inteiro que havia seguido o caminho da carne. A chave é o jejum. Veja, se você aprender como bloquear a sua carne, você bloqueará satanás, porque o único poder que ele tem é através da sedução e da manipulação da sua natureza carnal, que inclui o âmbito mental e emocional, juntamente com o corpo físico.

 

Quando estas obras da carne começaram a aparecer, a unção parecia ser menor, mas na realidade estava maior do que nunca. É isto que Paulo quis dizer quando falou em essência, “Pois eu preferiria ter glória nas minhas enfermidades (ou fraquezas) porque quando não posso depender da minha carne, dependo do Espírito Santo” (2 Co. 12:9,10). Quando nos sentimos fracos em nossa força natural, é quando geralmente estamos fortes, porque áreas da nossa carne que não foram mortificadas estão passando pelo processo de morte. Oração e jejum em combinação ajudam a fazer com que as obras da carne sejam iluminadas em nossas vidas com mais rapidez. Testes e tribulações também as trarão para a luz, mas eu prefiro não esperar pelas tribulações. O jejum e a oração permitem que o Espírito Santo revele aquelas coisas escondidas nas trevas e lide com elas antes que as tribulações venham. Isto faz com que nosso caráter seja fortalecido.

 

Esta incredulidade sutil é uma barreira que lhe impede de sair da bagunça que está em sua vida ou de realizar algo que Deus queira que você realize. Enquanto aquela barreira estiver lá, todos os anos serão iguais, até que um dia você perceberá que cinco anos se passaram e a sua unção não mudou; aliás, nada mudou. Você é o mesmo que era há cinco anos. Por quê? Porque você continua operando atrás de uma barreira invisível que está em sua vida sem você saber. E mesmo que você soubesse, não conseguiria quebrá-la com sua própria força.

 

O nosso jejum não move Deus; ele nos move a um lugar onde podemos receber de Deus. O jejum destrói o jugo que a carne tem em nossas vidas para que, ao invés de operarmos na carne, possamos operar continuamente no espírito! Deus não é aquele que está retendo o Poder. Tudo isso está esperando por mim e por você. Somos capazes de muito mais que simplesmente vencer as crises da vida. Cada um de nós foi criado para ser uma força nesta terra para Deus – e a oração combinada com o jejum são os poderes gêmeos que nos ajudam a atingir este objetivo!

 

Não são as mensagens que você ouve um ministro pregar por uma hora toda semana que mudarão sua vida. O pastor ou mestre ungido só pode fornecer algumas informações requeridas para a mudança necessária. Mas, a mudança verdadeira vem quando na privacidade de seu lar, você aplica a Palavra ao problema que você está encarando. A sua vida é transformada em proporção exata ao tempo pessoal que você passa orando no espírito, confessando a palavra e adorando. A meditação não só faz com que você reconheça que a palavra de Deus é verdade, mas também faz com que ela seja incorporada em seu espírito. Em outras palavras, a Palavra não só se torna uma parte de você, mas por ser implantada em seu coração, você se torna parte dela!

 

Deus criou a você e a mim com a capacidade não só de crer, mas também de nos adaptar ao que estamos continuamente acreditando e nos sujeitando. Infelizmente, esta habilidade pode operar em nós para o bem e também para o mal. Quando você permite que a sua boca se aparte da palavra, você passa a concordar com as circunstâncias que estão contra você. Mas, se você continuar a confessar a Palavra, você continuará operando na aliança entre você e Deus, contra as circunstâncias adversas. E, ao se submeter constantemente à Palavra por confessá-la repetidas vezes, você está aplicando uma das maiores formas de meditação.

 

As circunstâncias não fazem acepção de pessoas. Elas virão para você dia e noite. Mas, quando você está cara a cara com estas situações que parecem impossíveis de serem vencidas e continua confessando as promessas de Deus repetidas vezes, você está meditando dia e noite. Através da meditação você está dando à palavra de Deus a oportunidade de transformar você e seu modo de pensar, para que você se torne a pessoa vitoriosa que deve ser. Você irá se adaptar eventualmente ao que você está se sujeitando continuamente.

 

Você pode passar por várias novas circunstâncias em seu espírito e mente ao meditar dia e noite sobre o que Deus disse sobre o seu problema. Logo, você não se conformará com o problema. Ao invés disto, a sua fé, seus pensamentos e suas atitudes deixarão o problema para trás, embarcando em uma jornada em Deus onde toda promessa é sim e amém. Você pode encontrar um lugar em Deus onde a sua boca descreveu a vitória tantas vezes, que pôde visualizá-la no interior de seu espírito. Esta visualização da vitória se torna tão poderosa que substitui toda e qualquer coisa que mostre derrota. É isto que faz a meditação tão poderosa: ela substitui o problema com a Palavra e, o medo de falhar, com a fé, em cada área de sua vida.

 

Continue buscando a minha face para que você possa ir de morte em morte [da natureza carnal] e de glória em glória. Você verá coisas muito maravilhosas acontecerem. Você não só estará na semeadura, mas também na colheita. Pois Eu falei, e assim será. Então, Eu lhe dou as chaves, e eu chamo. Venha. Venha. Venha. Venha, diz o Espírito da graça.

 

Deus deseja nos tirar de um andar dominado pela carne, colocando-nos em um andar de filhos e de maturidade. Esta é a prioridade d’Ele, e uma opção sua. Você precisa escolher aceitar a liderança do Espírito Santo. Você precisa escolher andar fora de uma vida dominada pela carne e dentro de uma vida dominada pelo Espírito. O tempo é curto, então não atrase a sua aventura em desvendar os maiores mistérios de todos os tempos – a mente de Deus para a humanidade, para a sua geração e para a sua própria vida!


REDES SOCIAIS

EMAIL:   [email protected]